26/
Feb
Os grandes desafios dos médicos empreendedores

Muitos médicos têm o sonho de empreender, contudo a formação médica não os prepara para realizar este sonho. Para agravar, o médico assim que sai da faculdade já constitui, em sua grande maioria, um CNPJ, a fim de poder atuar nos diferentes serviços que irá trabalhar. Como médico empreendedor, sei bem como é esta realidade!

A discussão contou com o anestesista Cristiano Englert, com a oncologista Jurema Telles, com o otorrinolaringologista Bruno Rossini e com o empreendedor em saúde Fábio Tiepolo, fundador da Docway.

Entre os pontos levantados para termos profissionais de saúde mais empreendedores foi que o médico tem um tempo muito limitado para pensar em seu ou seus negócios, em função da sua altíssima demanda profissional, que dificulta se dedicar com intensidade a outras atividades.

Outro ponto fundamental é a necessidade de capacitação, que passa obrigatoriamente por buscar se aprimorar profissionalmente através do aprendizado de técnicas de gestão, marketing e até mesmo de programação para os mais geekies.

Ainda é vital que o médico busque pessoas com habilidades complementares para compor o time que desenvolverá esta startup, pois mesmo numa clínica é interessante que os sócios não sejam todos médicos, mas sim de diferentes áreas, a fim do negócio ser muito forte na assistência e ainda mais na sua gestão.

Já para projetos muito inovadores, especialmente na área digital, foi destacado a importância dos médicos empreeendedores se mobilizarem e terem uma maior atuação frente aos diferentes conselhos de medicina, em especial a APM e a AMB para que todas as tecnologias em desenvolvimento e as já desenvolvidas possam ser amplamente debatidas e, quando possível, incorporadas para a prática clínica.

 

 

Coluna Inovação e Empreendedorismo em Saúde por Fernando Cembranelli

 

Fonte: Saúde Business