22/
Mar
Mesmo com multa diária de R$ 70 mil, Sindicato dos Médicos decide continuar em greve


Apesar do aumento para R$ 70 mil ao dia por descumprimento decisão judicial,  o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed-MT) irá dar continuidade ao movimento grevista iniciado no último dia 7. Ao considerar o movimento ilegal, Tribunal de Justiça de Mato Grosso inicialmente determinou multa de R$ 50 mil. Na sequência ao protesto, uma nova medida judicial ampliou o valor.  No total, a dívida já acumulada soma quase R$ 1 milhão.
 
 
De acordo com o Sindicato, uma assembleia da categoria foi realizada na noite de segunda-feira, 21, e a deliberação foi pela continuidade do manifesto, que cobra melhores condições de trabalho, além do pagamento de 14% no Prêmio Saúde.  Nesta tarde, a partir das 14h, o Sindicato irá anunciar em coletiva pela continuidade dos protestos. Somente casos de urgência e emergência são atendidos na rede municipal. 
 
 
Segundo a assessoria do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed-MT), o corte de 14% no Prêmio Saúde que atingiu todos os trabalhadores da saúde e  foi o estopim para a mobilização conjunta das categorias. Pagamento das horas extras, adequadas condições de trabalho para atender melhor a população e a implantação do Piso Nacional dos Médicos que é R$ 12.993,00 por 20 horas semanais, são reivindicações da categoria. Conforme o Sindicato, o salário é de  R$ 3,8 mil.
 
 
Outra exigência da categoria é quanto ao pagamento do Reajuste Geral Anual, cumprimento dos Acordos Coletivos homologados na Justiça e o adequado preenchimento das escalas de plantão defasadas de médicos e profissionais de enfermagem.
 
 
Sobre o pedido, a Prefeitura de Cuiabá informou que o corte de 14% deve-se ao Plano de Contingenciamento determinado pelo prefeito, ainda no ano passado, e tem como objetivo promover corte nos gastos públicos, a fim de fazer frente ao atual momento econômico. Deste modo, desde 2014 o Executivo  vem promovendo uma série de medidas visando o enxugamento da máquina administrativa e o corte de gastos, de forma apropriada, diminuindo as despesas do poder público, de forma que essas medidas se traduzam  em benefícios aos cidadãos.
 
 

A Secretaria de Saúde (SMS), apresentou suas medidas, cumprindo com o plano de contingenciamento e atendendo ao Decreto 5.858/2015 adotando medidas administrativas para controle, reavaliação e contenção de gastos públicos, otimizando os recursos públicos existentes e a qualificação desses gastos, contribuindo para que o município pudesse alcançar e preservar o equilíbrio econômico-financeiro de suas contas. Além disso, citou ainda que o prêmio saúde precisava de uma readequação em razão da complexidade dos serviços, atividades e padrões de assistência. 

 

Fonte: Olhar Direto MT