03/
Feb
Corte de R$ 700 milhões na saúde revolta médicos

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, anunciou, na última terça-feira, um corte de R$ 700 milhões na verba destinada às 29 Unidades de Pronto Atendimento. Por conta desta decisão, as UPAs não realizarão mais internações de pacientes e serão divididas por especialidade médica.

 

O presidente do Sindicato dos Médicos do Rio (SinMed/RJ), Jorge Darze, criticou a medida e disse que a permanência de pacientes nessas unidades se dá pela incapacidade de transferência - controlada pela Central de Regulação do Município do Rio de Janeiro (Sisreg) - para leitos hospitalares, quando necessário. “Esse decreto do governador é absurdo. É como se ele tivesse assumido uma personalidade divina e pudesse controlar a doença das pessoas, quando, na verdade, ele tem a responsabilidade de dar condições aos médicos para realizar o tratamento. O tempo de permanência em uma Upa não pode ultrapassar 48 horas. Se as pessoas ficam nas UPAs por 15 dias, é porque o sistema não funciona. Proibir a internação é uma atitude muito séria e uma decisão absolutamente ineficaz", declarou.

 

A redução nos gastos da saúde por parte do Estado conta ainda com a economia de R$500 milhões em função da transferência dos hospitais Rocha Faria, em Campo Grande, e Albert Schweitzer, em Realengo, para a Prefeitura do Rio. O corte previsto para o setor totaliza R$ 1,2 bilhão.

 

Para Darze, a crise deveria ser resolvida com o melhor controle dos recursos e não cancelando internações. O dirigente sindical relembrou casos como o desperdício de material cirúrgico armazenado na Central Geral de Abastecimento (CGA) da Secretaria de Saúde (SES), em Niterói, cujo prejuízo foi de mais de R$ 5 milhões. Darze citou também a isenção fiscal que o governador concedeu à indústria cervejeira do Rio de Janeiro e a dívida de R$ 38,9 milhões da SuperVia com a Light, que o governo estadual assumiu. “Se há uma crise financeira no estado, o governador precisa parar de agir paradoxalmente”, finalizou. 

 

Fonte: SinmedRJ