31/
Dec
Holding Médica

HOLDING MÉDICA

A criação de uma holding médica tem se apresentado como importante ferramenta de proteção patrimonial contra os riscos inerentes ao exercício da atividade médica.

Atualmente milhares de médicos estão sendo processados no país, nas esferas cível, ética e criminal e as especialidades médicas mais demandadas são: Ginecologia e Obstetrícia, Traumato-Ortopedia e Cirurgia Plástica.

Com a criação da holding médica, o médico transfere todos os seus bens e direitos para a empresa, passando a ser dono, num primeiro momento, das cotas dessa empresa para, num segundo passo, já pensando no planejamento sucessório, transferir essas cotas sociais, por meio de doação com reserva de usufruto aos seus sucessores, que passam a ser os sócios da empresa, evitando ao mesmo tempo que o patrimônio pertencente ao profissional da medicina seja atingido pelos riscos da sua atividade e livrando os sucessores da burocracia e do alto custo do inventário.

Além de blindar o patrimônio de eventuais riscos, há uma enorme vantagem tributária em relação à tributação de eventuais rendimentos auferidos com a locação dos bens integralizados na empresa, pois enquanto a carga tributária incidente sobre esses rendimentos na pessoa física pode atingir 27,5%, na holding médica a carga tributária é de 11,33%.

Em conclusão, a alternativa de proteção jurídica de bens por meio de uma Holding Médica é válida e lícita, desde que não haja má-fé ou fraude. Caso deseje garantir a propriedade de seus bens, consulte um advogado especializado de sua confiança e saiba como.

 

Giovanna Trad Cavalcanti

Flavio Cavalcanti